Pular para o conteúdo principal

FANORONA

FANORONA
Possui regras simples e é considerado um dos melhores jogos de tabuleiro de todos os tempos.
Para dois jogadores e muita diversão!

História:
O Fanorona (ou “FANORENE”) é um jogo originário de MADAGASCAR. Lá é usado em atividades divinatórias, e é jogado basicamente por pastores. Seu tabuleiro é simples, e suas peças podem ser facilmente improvisadas. O nome “Fanorona” derivaria de “FANO”, que é uma árvore, da qual se usa as sementes como peças para o jogo.
O tabuleiro lembra muito o “ALQUERQUE”, mas difere deste jogo, totalmente, na forma de captura das peças. Não há hierarquia entre as peças, ou seja, qualquer peça pode capturar uma peça (ou mais) do adversário.

REGRAS:
O Fanorona é jogado em tabuleiro de 45 casas formadas pelas interseções de 9 linhas verticais e 5 horizontais e também interligados por 10 linhas diagonais. Trata-se de uma disputa entre 02 jogadores que tem por objetivo final capturar todas as peças do seu adversário, cada um dos participantes possui 22 peças de igual valor e cores diferentes, as quais dão início ao jogo em posição simétrica no tabuleiro.
Escolhido por sorteio o jogador das brancas faz o primeiro movimento e a partir de então os participantes jogam uma única peça de cada vez. O deslocamento da s peças é feito ao longo das linhas horizontais, verticais e diagonais do tabuleiro sempre no sentido de ocupar uma casa que esteja vaga e seja adjacente à casa em que se encontra a peça a ser movida. Nesse jogo a captura de uma peça pode ser de 2 maneiras: Por aproximação ou por afastamento.

(i) CAPTURA POR APROXIMAÇÃO:
Esse tipo de captura ocorre quando ao encontrar uma casa vaga, uma peça encontra uma peça adversária na casa adjacente que se encontra na mesma linha e na mesma direção em que se desloca. Se houver outras peças adversárias ocupando as casas seguintes da mesma linha sem que haja nenhuma casa vazia entre elas, todas serão capturadas.

(ii) CAPTURA POR AFASTAMENTO:
Quando uma peça se afasta das peças adversárias que ocupa as casas adjacentes situadas na mesma linha em uma posição contrária a direção em que ela se movimenta. Se a peça branca desloca-se para a casa vaga adjacente fazendo o movimento indicado pela reta ela irá capturar por afastamento as três peças pretas que estão situadas na mesma linha.

Postagens mais visitadas deste blog

Tsoro Yematatu - Um jogo do Zimbábue

Tsoro Yematatu
Pronuncia-se: TSOH-roh YEH-mah-TAH-too

OBJETIVO: Ser o último jogador a fazer uma linha com três peças suas.

NÚMERO DE JOGADORES: 02

MATERIAL:

- O tabuleiro do jogo
- 03 peças pretas
- 03 peças claras

REGRAS DO JOGO:

- Cada jogador pega 03 peças da mesma cor;
- Na sua vez, Cada jogador coloca uma peça sua no círculo do tabuleiro que ainda não foi ocupado;
- Quando todas as 06 peças (três de cada jogador) estiveram nos seus devidos lugares, move-se uma peça por vez, de um círculo a outro que esteja vazio, em linha reta.
- Cada jogador só pode ocupar um único circulo por uma de suas peças.
- Ganha quem primeiro alinha as suas três peças em linha reta, de acordo com as retas que ligam os círculos.


Bibliografia consultada:

Zaslavsky, C. (1998). Math games and activities from around the world. Chicago. Chicago Review Press.

TRILHA OU MOINHO

Trilha, também conhecido como Moinho, é um dos mais famosos dentre aqueles jogos em que se procura um alinhamento entre as peças, como o Gomoku, Jogo da Velha, Gnu, entre outros.

Diz-se que o tabuleiro da "Trilha" seria uma representação fenícia de seu império: o tabuleiro quadrado representando o mar, seu universo de conquistas; a casa central do tabuleiro, sendo Tiro, a capital fenícia; e as outras casas sendo as colônias fenícias, como Cádiz (Espanha) e Cartago (norte da África).

O objetivo neste jogo é buscar o alinhamento de 3 peças o que lhe dá o direito de capturar qualquer peça do adversário que não esteja em alinhamento. Ganha aquele jogador que tirar tantas peças do seu adversário tal que não haja mais possibilidades de alinhamento. Há, neste jogo 3 fases distintas. A primeira fase é o posicionamento das peças no tabuleiro, a segunda é a movimentação das peças para pontos adjacentes e a terceira fase, é a movimentação livre das peças, ou seja, não necessariamente pa…

QUEBRA-CABEÇAS DE METAL (PUZZLES EM METAL)

Extraido de www.matematica.no.sapo.pt estes puzzles, como são chamados os quebra-cabeças, fascinam pela quase impossibilidade de solução. Apresento o texto que extrair, na íntegra e sem a devida permissão de seus autores, do site mensionado e espero que se divirtam com tantas variedades de puzzles.


"Apresentação dos puzzles em metal "

Quem alguma vez teve que deslocar uma mesa de uma casa para outra ou ao longo de um corredor, sabe que o espaço tridimensional reserva algumas surpresas que quotidianamente passam despercebidas. Estas surpresas são bem conhecidas dos "viciados" na resolução/construção de puzzles de metal. Estes antigos ( e sempre atuais ) jogos artesanais consistem numa estrutura composta por duas ou mais peças de metal (fig. 1). Deste conjunto de peças entrelaçadas, o jogador deve separar uma delas - a peça problema - do resto do conjunto - a estrutura suporte - sem fazer deformações ou cortes.
A primeira impressão que temos quando confrontados com um pu…